R$ 4,50

A língua de vaca, também conhecida como bredo, costa-branca e outros nomes é uma planta muito comum em nosso país e utilizada na medicina caseira de muitas regiões brasileiras. Você conhece essa planta? Sabe quais são os seus benefícios e como usá-la corretamente? Conheça um pouco mais sobre ela agora.

A língua de vaca, conhecida cientificamente como Talinum paniculatum, é uma planta que pertence à família das Asteraceae e é originária do Brasil, tendo sido disseminada por toda a América.

Essa planta possui diversos nomes, como buglosa, bredo, costa-branca, chamama, maria-gorda, caruru, língua-de-vaca-miúda, fumo-do-mato e muitos outros. Todas as partes da língua de vaca são utilizadas na medicina caseira, porém mesmo sendo muito utilizada em algumas regiões do nosso país, a sua eficácia e a segurança do uso das suas preparações ainda não foram comprovadas cientificamente.

Entre as suas principais propriedades medicinais se destacam as ações: sedativa, antigripal, anti-herpética, diurética, tônica, desobstruente, antiblenorrágica, béquica entre outras.

O uso da língua de vaca é muito indicado no tratamento de afecções das vias urinárias, catarro, doenças de pele, dores de cabeça, dores musculares, feridas, golpes, insônia, obstipação intestinal, torceduras, tosse, tumores linfáticos, úlcera entre outros.

Para insônia e dores de cabeça, deve-se fazer cataplasma das folhas e colocar sobre a testa.

Para febres e obstipação intestinal, deve-se fazer a decocção de 1 a 2 colheres de chá de folhas ou raízes da língua de vaca em uma xícara de água, ferva por 10 minutos e tome de 3 a 5 xícaras diariamente.

Para dermatoses, afecções das vias urinárias, tosses e catarros pulmonares, deve-se fazer a infusão de 1 a 2 colheres de chá em uma xícara de água quente e tomar de 3 a 5 xícaras ao dia, é possível ainda ser usado em banhos.

Para a tosse deve-se fazer o xarope das sementes torradas.

Para cistites, cálculos renais e problemas diuréticos, deve-se colocar uma colher de sopa das folhas picadas em uma xícara de água fervente, após isso abafe, espere amornar e em seguida coe. Tome uma xícara de chá de 1 a 3 vezes ao dia, não é aconselhável tomar esse chá após as 17 horas.

Para feridas, úlceras crônicas, tumores linfáticos e dores de cabeça, deve-se colocar uma colher de sopa de raízes, folhas e flores fatiadas em um copo de água em fervura. Deixe ferver durante 5 minutos, em seguida coe e espere esfriar. Aplique nos locais afetados com um chumaço de algodão de 2 a 3 vezes ao dia.